jusbrasil.com.br
21 de Novembro de 2017
    Adicione tópicos

    XIII EDIÇÃO DO BENCHMARKING BRASIL DESTACA TRABALHO DE PERSONALIDADES NA MÚSICA E NA COMUNICAÇÃO

    TRF3 foi palco da premiação que destaca os trabalhos de sustentabilidade de empresas brasileiras

    Inovações, preservação ambiental, desenvolvimento sustentável. Esses temas foram abordados, no dia 2 de julho, no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), durante o XIII Benchmarking Brasil – premiação de sustentabilidade – com a participação de projetos de empresas ranqueadas com as melhores práticas socioambientais do país.

    A premiação reúne ambientalistas, ativistas, cientistas, especialistas, empreendedores e lideranças ativistas que trazem inovações na área, soluções e práticas que transformam realidades. Foram premiados 28 cases de sustentabilidade, dez projetos e aplicativos de inovações verdes, dez obras de arte sustentável e um livro de gestão socioambiental.

    Para o presidente do TRF3, desembargador Fábio Prieto, o interesse em sediar o evento está relacionado ao compromisso com a causa ambiental e a uma política de evitar os danos ou ao menos reduzi-los. “Quanto maior a aplicação de práticas de sustentabilidade, menor o número de ações ajuizadas nesta área no Poder Judiciário”, afirmou.

    A desembargadora federal Consuelo Yoshida, presidente da Comissão de Gestão Ambiental do TRF3, destacou que o evento reforça a imagem do tribunal como incentivador da cidadania e da educação ambiental. “Promover práticas inovadoras nesses tempos de crise energética em todas as áreas levam à construção de uma sociedade melhor”.

    Já a ambientalista idealizadora do programa Benchmarking, Marilena Lavorato, ressaltou que o espaço do tribunal para sediar o evento é representativo por ser uma casa da cidadania. “Estamos falando de boas práticas e melhoria da qualidade de vida para a economia, para as empresas e para o cidadão. Foram mais de mais de 180 empresas e 340 práticas certificadas nas 13 edições realizadas. Aqui é um espaço adequado para a premiação”, elogiou.

    Personagens homenageados

    A XIII edição reconheceu a trajetória de pessoas que transformam realidades com ações e ativismo em favor da vida. Os grandes homenageados foram personalidades que tem desenvolvido trabalho de conscientização ambiental e tem amplo contato com o grande público ou os meios de comunicação.

    O primeiro premiado foi Cristian Dimitrius que é biólogo, cinegrafista e apresentador de televisão especializado em vida selvagem e história natural. As imagens de seus documentários circulam pelo mundo em canais como Discovery Channel, The History Channel e BBC.

    “É uma honra e fico muito feliz de receber um prêmio como este. Minha missão de vida é fazer com que as pessoas se apaixonem pelo planeta através das imagens. Só através dessa ligação emocional é que as pessoas vão começar a realmente proteger e buscar mais conhecimento e se importar com tudo que está acontecendo”, salientou.

    O segundo homenageado foi a Banda Falamansa, representada pelo vocalista Tato, que lançou músicas com temas ambientais como Lixo no Lixo e Segue a Vida (sobre o Rio Tietê). O grupo de forró de São Paulo busca estimular através das canções atitudes sustentáveis.

    “É uma honra muito grande receber este prêmio e que seja uma alavanca pra propagar a ideia da consciência ambiental e da sustentabilidade. A Banda Falamansa pontua a sua carreira com o intuito de desenvolver o bem através da música, da letra... e isso traz um bem-estar às pessoas que ouvem e que respeitam o nosso trabalho”.

    Práticas vencedoras

    O evento elencou 28 empresas que apresentaram práticas inovadoras. O primeiro colocado do ranking foi a Itaipu Binacional com o projeto “Mais Peixes em Nossa Água”. O projeto é desenvolvido desde 2003 e atinge 140 toneladas de peixe produzido pelos pescadores artesanais. Isso representa 10% da produção pesqueira do reservatório em Foz do Iguaçu (PR).

    “Conseguimos retomar a quantidade de peixes nativos que tínhamos anteriormente no reservatório. O projeto tem como objetivo promover o desenvolvimento socioambiental e a melhoria de renda dos pescadores artesanais em torno da região de Itaipu, através do cultivo de peixe em tanque-rede”, explicou Celso Buglione, representante da Itaipu Binacional.

    A empresa Cargill foi premiada em segundo lugar com o “case” “Pomarola Mais Sustentável”. As ações envolveram todas as etapas da cadeia do molho de tomate, como transporte do tomate pra fábrica, ações na fábrica e pós-fábrica, na chegada do produto até o cliente.

    “O conjunto de ações teve um impacto no processo produtivo como a redução de 10 mil toneladas de CO². Isso equivale a toda a frota da cidade do Rio de Janeiro de veículos (dois milhões e 200 mil) rodando um dia inteiro. As emissões geradas por toda essa frota conseguimos reduzir com essas ações”, relatou.

    Outra inciativa vencedora envolveu a capacitação de professores. Com o projeto “Multiplicadores em Educação Ambiental”, a concessionária rodoviária Triunfo Transbrasiliana capacitou em um curso um grupo de educadores nos municípios de Marília e São José do Rio Preto, interior paulista. Esses professores vão fazer a multiplicação de trabalho de sustentabilidade com seu alunos na rede pública.

    Mais prêmios

    O evento ainda destacou o trabalho de alunos de escolas técnicas profissionalizantes, alunos do curso de tecnologia da informação que fizeram aplicativos de controle hídrico. Outro destaque também coube a artistas e artesãos que trabalharam com arte sustentável. Todos os homenageados e premiados podem ser vistos no na página do Benchmarking Brasil.

    Assessoria de Comunicação Social do TRF3

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)